Quilombola

Comunidades do Território Erepecuru constroem seu Plano de Vida

Whatsapp

Jarauacá, Varre Vento, Acapu, Poço Fundo, Monte das Oliveiras, Boa Vista Cuminã, Santa Rita, Jauari, Araça, Espírito Santo, São Joaquim e Pancada, estas são as 12 comunidades remanescentes de quilombos que juntas integram a Área Erepecuru (Acorqe), um dos maiores territórios quilombolas de Oriximiná que neste final de semana estiveram reunidas na comunidade de Jauari para juntas pensarem a construção do seu Plano de Vida, uma ferramenta de gestão territorial que possibilitará em um prazo de 10 anos pensar o futuro em temáticas específicas.

A Construção do Plano de Vida da Acorqe, associação que possui uma média de 500 famílias associadas, aprovou objetivos específicos nas áreas da Saúde, Educação, Cultura, Meio Ambiente, Geração de Renda, habitação e Fortalecimento Institucional.  “O Plano de Vida vai trazer o desenvolvimento não só para uma comunidade do Jauari, mas para as 12 comunidades e isso é uma coisa inédita no nosso território do Erepecuru. Aqui são mais de mil famílias que a gente tem no território, uma população muito grande e são mais de 500 sócios que fazem parte da Acorqe e o que nós buscamos é melhorar a vida das pessoas”, ressaltou Ricardo Cardoso Almeida coordenador administrativo da Acorqe.

O debate da construção do Plano de Vida tem apoio da Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos de Oriximiná (Arqmo) que trabalha em busca do reconhecimento, valorização e autonomia dos povos quilombolas. “A gente costuma dizer que as comunidades tinham um sonho, mas não sabiam como colocar no papel e nem como cobrar das autoridades, hoje nós temos um plano que vai estar falando de todos os temas e isso faz com que gente possa trazer projetos para serem desenvolvidos dentro das comunidades”, ressaltou Rogério Pereira membro do Conselho da Arqmo.

Desde outubro de 2017 a Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) no Eixo Quilombola do Programa Territórios Sustentáveis, com apoio financeiro da MRN e parceria da Usaid tem apoiado as Associações na construção dos seus Planos de Vida. Ao todo, seis associações quilombolas, Água Fria (ACRQAF), Mãe Domingas, Ariramba (Acorqa), Boa Vista Trombetas (ACRQBV), Área Trombetas (Acorqat) e Área Erepecuru (Acorqe), porém, a construção do Plano de Vida é apenas o primeiro passo deste processo. “A partir dessa construção nós vamos chamar todas as associações para realizarmos um planejamento estratégico onde vamos desenvolver um trabalho integrado pensando na construção de um diálogo com as instituições citadas no Plano de Vida para que essas demandas sejam executadas”, Frisou Edwilson Pordeus, coordenador da Ecam no Programa Territórios Sustentáveis.

Quer saber mais sobre as ações do Programa Territórios Sustentáveis, acesso nosso site www.territoriossustentaveis.org.br ou baixe nosso aplicativo. Acompanhe também as nossas redes sociais Territórios Sustentáveis no Facebook, Instagram e no YouTube.

Por: Martha Costa – Assessora de Comunicação Ecam

Jornalista DRT 2974/PA